Nós Abelhas – Processo de Montagem estrutura em dobradura

Nós Abelhas é um dos desdobramentos do projeto S.H.A.S.T. – Sistema Habitacional para Abelhas Sem Teto – com o objetivo de criar uma instalação móvel para jardins. O esquema mostra as dimensões em escala humana e suas partes. Nas imagens abaixo estão documentados momentos diversos da produção do invólucro do corpo, concebido com base em dobraduras de origami.

 

 

 

 











Oficina Natureza

postado em: Processos | 0

Oficina Natureza – Fazenda Santa Helena – Rio de Janeiro – Saturday September 14, 2013 9:00 AM – Sunday September 15, 2013 5:00 PM BRT Proposta de imersão por dois dias em processos hibridos naturais/artificiais.

Q_ _ _ _ _ _ no Transperformance

postado em: Blog, Processos | 1

No dia 18 de dezembro de 2011, o Grupo A.C.Ho expandido coordenado or Malu Fragoso realizou a performance Q_ _ _ _ _ _ durante o evento Transperformance no Oi Futuro Ipanema, no Rio de Janeiro.
Performers: Barbara Castro, Gilson Motta, Lorena da Silva, Malu Fragoso, Rafaeli Mattos.

A presente proposta atua como uma visão de realidades intangíveis a nossa corporeidade do chão. Estaremos simultaneamente re-experimentando a proximidade com a rota do chão, traçando nosso caminho visando as alturas.

Três performers conduziram câmeras suspensas por balões de hélio. As câmeras transmitiam as imagens capturadas ao redor da praça General Osório para um sistema de exibição de vídeo streaming em tempo real que podiam ser assistidas em um site na internet ou em uma sala dentro do Oi Futuro. Paralelamente, outros dois distribuíam balões comuns para os transeuntes. Os balões distribuídos tinham uma altura menor do que os que suspendiam as câmeras. Desta forma, era possível ver os trajetos das pessoas presenteadas com os balões. Estas pessoas tinham algo em comum, uma característica muito comum aos frequentadores da região, utilizavam chinelos de dedo.
Os chinelos foram selecionados como elemento-guia para a performance devido a sua popularidade indiferente ao perfil de quem o usa. O chinelo é utilizado por todos que frequentam a região, cariocas ou turistas, ricos ou pobres. Esta foi uma das constatações feitas na pesquisa de campo realizada na ocasião do convite para participação no evento. O local abriga as escalas e divergências que marcam nossa cidade, o Rio de Janeiro. Nuances e polarizações sociais e naturais. O mar e o morro, o luxo e a favela, o asfalto e o elevador, o baixo e o alto. É então possível caminhar de diversas formas sobre o perfil carioca. Assim, apresentamos Q_ _ _ _ _ _, um sistema de localização geo-socio-cultural (GscPS) composto por balões, câmeras, performers e chinelos de dedo.

As imagens continuam disponíveis no site. (clique na imagem para redirecionamento)