Projeto Bot_anic – plantshield + estrutura

postado em: Blog, Processos | 0

A última parte dessa montagem é a do plantshield customizado. Decidi usar uma shield genérico para arduino e fazer a montagem dos componentes diretos nele. A vantagem dessa técnica é a possibilidade de ter o shield pronto em algumas horas, sem ter que passar pela etapa de projetar o circuito no computador, passar para uma placa, acidular, etc… Usando o proto shield pode-se soldar diretamente nele e criar seu circuito. Outra vantagem é o formato padrão da placa arduino que o proto shield segue. Depois de montado é só inserir sobre o arduino e testar.

Desvantagens dessa técnica: todas as ligações entre os componentes são feitas a base de fio soldando um por um. Você tem que ter alguma experiência em montagens como essa pois é muito fácil se perder ao longo do caminho e criar uma cama de gato bem confusa e em curto. Use fios bem finos e alterne a parte superior do shield com a parte de baixo (ele é double side). Na sequência inicio por colocar os componentes de um lado para depois ir virando o shield e ir soldando. Uso uma suporte de placas para bancadas para me auxiliar no processo. Seguem as imagens:

Projeto Bot_anic – suporte para vaso com LED RGB

postado em: Blog, Processos | 0

Um outro achado que mantive na gaveta foi um vaso iluminado por LED, que comprei numa loja de 1,99 lá fora (UK). Foi fácil adaptar um LED RGB que dará os sinais de mudança no comportamento da planta. Tive que pensar uma forma interessante de acoplar o vaso ao robô, especialmente no sentido de facilitar montagens e transporte. Optei por um sistema de tubos metálicos que recebem o vaso através de quatro parafusos. Tudo isso foi adaptado, tanto as partes do meccano quanto ao vaso. Ao final alguns testes de luz, a colocação do arduino e a forma final do robô. No próximo post tratarei do Plantshield.

Projeto Bot_anic – corpo do robô

postado em: Blog | 0

Como corpo do robô usei a mesma base do antigo sistema, uma estrutura de metal e parafusos usada em brinquedos modulares. A que usei se chama “meccano”. Aqui no Brasil tenho encontrado dificuldade em achar marca ou algo similar comercialmente, mas sei que existe um módulo comercial à venda específico para montagens como essa. Farei um novo post sobre isso em outro momento.

A vantagem de se trabalhar com estruturas como essa é a possibilidade de poder dar formas inventivas a sua criacão. O módulo meccano que havia comprado era para construção de um carro de corrida. Porém, com um pouco de imaginação cheguei a forma atual desse robô. Note a solução encontrada para a roda traseira, adaptada de uma rodinha comercial para móveis. Outro detalhe é o sistema de transmissão por elásticos. Trabalhei de forma que o torque do motor aumentasse usando uma configuração adequada de polias (pura sorte de ter os tamanhos adequados).  Segue  a galeria de imagens:

Projeto Bot_anic – motorshield

postado em: Blog, Processos | 0

O projeto Bot_anic, (Bot derivando de robô) dá sequência a pesquisa de monitoramento sensível de plantas usando um medidor de respostas galvânicas adaptado para folhas vegetais (ver o projeto “Breathing“). Em Bot_anic resolvi criar um shield para arduino através do qual posso monitor variações de condutância em duas folhas distintas. Isso me dá a possibilidade de analisar a diferença de sinais entre as duas folhas e usar esse sentido paar direcionar o movimento de um pequeno robô que carrega a planta.  Ao todo o projeto consiste de 3 etapas: montagem de um motor shield para arduino, responsável pelo controle de dois motores DC de baixa potência, montagem do meu plantshield customizado (monitoramento das folhas), montagem de uma estrutura robótica para transportar a planta.

Iniciando a montagem do motorshield

O motorshield estava empacotado desde minha volta da Inglaterra,esperando o momento desse projeto sair da gaveta. Quando criei Breathing em 2008 já vinha trabalhando no que chamava “Plant System”, uma série de interfaces com plantas, entre elas o módulo de transporte. A versão inglesa era mais ou menos como abaixo:

Montei a primeira versão do controle de motores usando uma H-bridge, que esquentava bastante. Tudo muito artesanal, feito na protoboard com fios para todos lados. O chip era o L293D. Funcionou, mas precisava de ajustes e tempo, que me faltava muito devido ao doutorado.

 

Resolvi para a versão atual trabalhar com um motor shield comercial. Comprei o kit e montei. Veja a sequência abaixo:

           

Ver os outros posts em “processos“.