Processo de documentação audiovisual

postado em: Blog, fotos, Processos, Videos | 0

Segundo os dicionários atuais, documentação significa e remete ao conjunto de documentos para verificação de fatos históricos, identidade de pessoas etc. No NANO, documentação significa também ajudar a criar a identidade do laboratório, além de perpetuar a sua memória, através da documentação de eventos, workshops, oficinas, imersões e reuniões, isso tudo por meio de vídeos, fotos e áudios.
Como forma de melhor documentar os registros dos eventos anuais, aos quais o laboratório esteve relacionado, desenvolvemos e criamos uma narrativa visual, na qual buscamos apresentar as partes fundamentais dos eventos a serem documentados, assim como as pessoas que participaram e os seus diálogos.


Em meio ao processo de edição dos vídeos, notamos que seria necessário criar uma narrativa e linguagem visual para que, desse modo, transmitíssemos com maior eficiência os estados de emoções e ideias de quem estava envolvido nas filmagens, e, mais importante, proporcionar uma estrutura visual dos vídeos.

Desse modo, decidimos padronizar o uso de componentes visuais, tais como ritmo, movimento, cor e espaço, e, além disso, foram aplicadas músicas como um recurso para contribuir com a harmonização da narrativa a ser exibida.
Assim, na documentação, as principais tarefas (referentes ao áudio-visual) se referem a criar um roteiro mental da cena a ser gravada, para que se tenha o mínimo de organização e coerência da narrativa (ex: filmar cenas com o enquadramento parecido).

Dentro disto procuramos ir adiantando mentalmente o tom que cada vídeo pode ter, junto com a busca de músicas. É importante que o tom seja coerente com a história que está sendo contada.

Para a realização da edição dos vídeos nos utilizamos do programa Adobe Premiere, e para a parte sonora, utilizamos o Audacity e adotamos o uso do site Free Music Archive, uma biblioteca digital open source de músicas, que possui colaboração entre curadores e artistas.

 


Interface do Adobe Premiere
 

Neste processo todo, existem problemas que podem atrasar o andamento da edição, tal qual a grande quantidade de arquivos de vídeo para serem assistidos e cortados (em muitos casos, existem mais de 800 arquivos para serem analisados), ou a transferência demorada devido ao tamanho dos mesmos (transferência do computador do NANO para os nossos notebooks). Muitas das vezes, existem eventos com vários dias de duração, que precisam ter uma atenção redobrada, para que possam ser fragmentados de acordo com seus micro temas, pois um único vídeo de longa duração possui menos capacidade de prender a atenção do espectador, em comparação aos curtos.
O próximo passo se refere à aprimoração dos vídeos, no que diz respeito à explorar mais o mundo do documentário, criando vídeos mais explicativos quando necessário (ex: workshop, ou tutorial, em formato de documentário) ou mais artísticos (ex: performances), incorporando mais o uso do design na criação de uma identidade visual que auxilie na compreensão dos novos documentários.

Atualmente, os integrantes da documentação são: Bruna Mosca, Caroline Aquino, Lara de Oliveira, Pedro Barbosa e Thaís Guerra.

 

Vídeo apresentado na JICTAC de 2015.

Deixe uma resposta