Clara Acioli

| 0

Estudante de graduação em Desenho Industrial – Projeto de Produto pela EBA – UFRJ. Interessada nas áreas de artes, design, fotografia, tecnologia e moda/indumentária. Área de pesquisa atual em vestíveis, próteses e extensões do corpo como exploração artística. Faz parte da equipe de documentação dos trabalhos e eventos do NANO.

Pedro Santos

| 0

Graduando em Engenharia de Controle e Automação pela UFRJ, conhecimentos em Modelagem, Impressão 3D, Eletrônica, Design e Fabricação PCB, Microcontroladores, Programação, Processos de Fabricação e CNC. Entusiasta apaixonado pela robótica e competidor desde 2014 pela UFRJ. Pesquisador iniciante na área de Machine Learning e sua interação com pessoas. Tem interesses em Inteligência Artificial, robótica, impressão 3D. Assim como em qualquer fronteira tecnológica inovadora.

Gabriel Bastos

| 0

Graduando em Engenharia Eletrônica e da Computação pela UFRJ, técnico eletrônico pelo CEFET-RJ, maker e programador. Tenho como hobbie estudar sensores e placas de hardware livre voltadas para prototipação, participo de hackathons voltadas para área de tecnologia onde já tive grandes projetos e ideias finalizadas com sucesso. Tenho prática em desenvolvimento de circuitos eletrônicos desde a simulação em softwares como Proteus e Orcad, criação de layouts com CADs(Eagle e Fritzing) até prototipação em protoboard e montagem da PCI. Programo em linguagens de baixo e alto nível como VHDL, Assembly, C ansi, C++, PHP, Processing,SQL, HTML e CSS.

Ítalo Ramos

| 0

Graduando em Desenho Industrial – Projeto de Produto pela UFRJ e formado em Automobilística pelo CEFET/RJ. Autodidata em softwares de CAD, possuí interesse em tópicos relacionados a próteses biônicas e engenharia mecânica.

Leon Matias

| 0

Leon é Graduando em Desenho Industrial – Projeto de Produto pela UFRJ e técnico em Mecânica pelo CEFET-RJ. Suas experiências anteriores incluem-se no campo de criação de produtos de madeira, autodidata, especializou-se em produtos esportivos.
Tem interesse em aprender e desenvolver projetos com o uso de novas tecnologias como modelagem e impressão 3D, CNC, biomimética.

Marinah Raposo

| 0

Graduando em Arquitetura e Urbanismo, cursando matérias em Design de Produto na UFRJ e fazendo cursos de extensão da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Curiosa e amante das artes, quero aprender mais sobre como construir, não só arquiteturas, mas espaços com diferentes formatos e ocupações, criar cenários, ambientes que encantam e emocionam.

Thaís Guerra

| 0

Graduanda em Desenho Industrial – Projeto de Produto pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Possui interesse em arte, edições de vídeo, música, tecnologia, design, materiais e processos de fabricação e ilustração

Atualmente trabalha na parte de impressão e modelagem 3D (Rhinoceros e Solidworks) para peças avulsas de suporte e para projeção de projetos completos, e documentação do laboratório (filmagem e edição de vídeo). Também é coordenadora da ENTRE – Semana de Design da UFRJ e workshopper iniciante.

Linhas de pesquisa:

 

Reinvenção e o método em fluxo de documentar.

A pesquisa se concentra na evolução documentacional dos cursos dos diversos projetos desenvolvidos pelo NANO (Núcleo de Arte e Novos Organismos), realizada dentro da área de Design e Documentação. Ela se inicia a partir da construção da narrativa e linguagem visual já empregadas anteriormente, que do ano passado até os dias atuais, foram instigadas pela documentação do projeto S.H.A.S.T. ( Sistema Habitacional para Abelhas Sem Teto), que, como consequência, está gerando um aperfeiçoamento da documentação como um todo, pois o princípio de seu registro foi também o ponto de partida para uma reflexão sobre uma nova forma de documentar nossos projetos em geral, uma vez que foi destacada a necessidade de refinar nossa forma de gerar conteúdo audiovisual, de forma a criar vídeos voltados para a perspectiva de se gerar uma imersão dentro deste processo. O S.H.A.S.T. possibilitou essa nova maneira se de pensar o vídeo no momento do seu desenvolvimento, pois percebeu-se um movimento fluido, uma vez que os artistas-pesquisadores se mostravam totalmente imersos, sem pensar em nada além de sua ação, aliando habilidade com o desafio de se sofisticar mais, gerando novas soluções com naturalidade. Esta observação inspirou o processo de pesquisa e dessa maneira, foram realizados alguns questionamentos sobre como aprimorar e aplicar tanto as questões referentes à edição, e juntamente de se empregar novas metodologias no momento de gravação da cena, bem como tornar essa imagem em movimento em algo mais fluido do que antes, e também relativo quanto ao investimento em equipamentos e acessórios de filmagem, tal como estabilizadores de câmeras, uma vez que o ato de filmar se utilizando apenas de uma câmera em um tripé não geraria grandes novidades, então foi visto que seria interessante maior fluidez nos quadros para gerar resultados mais dinâmicos e que conquistassem maior interesse dos olhos à cena que estivesse acontecendo. Esta nova forma se de criar uma flexibilidade do vídeo como meio de gravação e edição terá seus resultados mostrados na apresentação, aplicados tanto à documentação do S.H.A.S.T., quanto à todos os outros demais projetos e vídeos de caráter documental do laboratório NANO.

 

Referências bibliográficas: RIBEIRO, Ana Margarida da Costa. A narrativa audiovisual: o cinema e o filme publicitário. 2008.

RAMOS, Fernão Pessoa. Mas afinal… o que é mesmo documentário? São Paulo: Senac/SP, 2008

 

Impressão 3D como propulsor do processo de fabricação de projetos.

O projeto refere-se ao uso da impressão 3D no NANO (Núcleo de Arte e Novos Organismos) e como isso está fomentando o progresso projetual do laboratório. Ao longo de mais de 2 anos com a tecnologia, foram produzidas diversas peças e contribuições para vários projetos. Essa possibilidade de desenvolver objetos essenciais para o andamento das pesquisas, sem depender de recursos adicionais, promove uma facilidade no nosso dia a dia de laboratório. Um dos objetivos com a impressão 3D junto da modelagem em software seria a criação de uma ferramenta que permita criar arquivos de peças que possam ser impressos rapidamente, estes resultados seriam apresentados como forma de demonstrar a sua importância, visto que, atualmente, torna-se impensável produzir algum grande projeto no laboratório sem qualquer tipo de uso da impressora. Este tipo de abordagem foi inspirado em grande parte pelo movimento maker, formado por entusiastas em fabricação pessoal, interessados em produzir suas próprias coisas. Assim, no NANO, buscou-se além de imprimir diversas peças para projetos, pensar em fabricar objetos que não fossem apenas coadjuvantes, e sim que tivessem maior destaque, visto que está sendo elaborado uma estrutura baseada em formas paramétricas para ser destaque em um projeto do laboratório, além de peças que são anexadas para incrementar a própria máquina, tal como um suporte para o seu filamento e cooler fan, otimizando seu espaço de trabalho, seguindo o conceito conhecido como DIY (Do It Yourself, ou seja, “faça você

mesmo”). Um dos aspectos mais importantes obtidos ao longo da pesquisa, refere-se ao fato de que com o auxílio da impressão aprende-se não só a trabalhar e pensar mais tridimensionalmente, mas também a entender melhor o material (no caso, polímero) que está sendo utilizado, pois apesar de não ser um processo de fabricação industrialmente disseminado e popularizado, a experiência que se adquire no dia a dia ao lidar com diversos cenários empregando esse material da impressora é mais valiosa do que qualquer teoria.  Nesta apresentação serão mostradas as etapas desse processo e os seus resultados conseguidos até então.

 

Referências bibliográficas: JUNIOR, Natal Anacleto Chicca; CASTILLO, Leonardo Gómez. IMPRESSÃO 3D NA CULTURA DO DESIGN CONTEMPORÂNEO. Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4, p. 2344-2353, 2014,

 

MATERIAIS Ciência e Engenharia Uma Introdução William D. Callister, Jr. – John Wiley & Sons, Inc., New York, NY, 1991..

 

ABRAMOVAY, Ricardo. O movimento dos fazedores e o espírito do faça você mesmo.

  1. Em: <http://www1.folha.uol.com.br/empreendedorsocial/colunas/1190457-omovimento-dos-fazedores-e-o-espirito-do-faca-voce-mesmo.shtml>

Acesso em: 10 junho 2016.

 

 

 

Alana Santos

| 0

Estudante de Graduação em Desenho industrial-Projeto de Produto na UFRJ  e Atriz . Alana Santos sempre esteve envolvida com projetos artísticos . Como teatro , TV , Desenhos e animação 2D . Atualmente está buscando novos conhecimentos na área de modelagem 3D e estudando novas possibilidades de externar as emoções do ator usando novas tecnologias .